domingo, 16 de novembro de 2014

Comunicação e sua Importância


    Se você for em busca de consultores para saber o que realmente importante para o funcionamento de uma empresa, vai descobrir rapidamente que comunicação é uma delas. Na Igreja não é diferente, comunicar-se é importante demais. Porém aqui quero fazer um adendo, a comunicação que estarei tratando aqui é especificamente de liderança, ou seja, para a comissão da igreja, e não a comunicação geral da igreja, que no caso da Adventista, existe um departamento só para isso.

   Se você é pastor e esta chegando em um novo distrito, falar sobre a importância da comunicação é um excelente começo, afeta todos os membros  e mais, ajuda muito  na execução de projetos da congregação. Então aqui vão algumas dicas.

1. Comunicar-se constantemente

   Algumas pessoas reclamam pelo excesso de comunicação, e-mails que não acrescentam muita coisa e assim vai, mas você já colocou na balança o que é melhor, o excesso ou a falta de comunicação? Vou considerem aqui primeiramente o excesso de comunicação e os três problemas mais citados.

   a. Tempo para redigir relatórios ou e-mail de atualizações adicionais.
   b. Tempo para ler relatórios ou e-mail de atualizações adicionais
   c. A chateação de ler e-mail ou outro tipo de mensagens com informações já antes comunicadas.

   Agora vou considerar aqui os três principais problemas que existem pela falta de comunicação.

   d. Falta de outras perspectivas (mesmo divergentes) de questões importantes.
   e. Redundância de vertentes de trabalho. (Por exemplo, quem nunca viu dois ou mais pregadores estarem prontos para transmitir a mensagem no mesmo dia).
   f. Resposta errada ou mesmo significativo retrabalho por falta de um ou mais dados.

   Creio que todos nós já fomos pelo menos uma vez na vida vítima da falta de comunicação tendo aquela sensação de desperdiçou muito tempo em algo desnecessário. E pelo que apresentei acima, imagino que ficou claro na sua visão que o excesso de comunicação causa menos dor de cabeça do que a falta de comunicação.

   Agora um detalhe, nunca se trave em apenas um único tipo de comunicação, existem pelo menos três meios de comunicação que devem manter um equilíbrio para manter todo o sistema, seja empresa ou igreja, equilibrado. Comunique-se por e-mail, por telefone e pessoalmente. O e-mail pode ser interrompido de maneira abrupta e muitas vezes não passa a o “tom do discurso” que seria necessário transmitir. Não é incomum os e-mails darem também uma interpretação equivocada, por mais claro que o autor do e-mail achou ter sido. Mantendo esses três meios de comunicação ativos você vai criar um ambiente de comunicação clara.

2. Ouvir com atenção

   Desde que eu era uma criança ouvia a professora na sala de aula dizendo: “Deus nos deu uma boca e dois ouvidos, isso significa que é mais importante ouvir do que falar.”

   Talvez você não concorde com a metáfora, mas você precisa concordar que ouvir é MUITO mais importante que falar. E essa é uma habilidade que principalmente nós homens precisamos treinar, pois um dos maiores pontos fracos de comunicação masculino é interromper as pessoas no meio da sua fala.

   Para um pastor, conselheiro ou qualquer pessoa nessa posição, a regra de ouro é aprender a ouvir e mais ouvir com atenção, aqui vão quatro dicas para aprimorar o nosso lado ouvinte:

   a. Deixe a própria agenda de lado. As visitas que faço são feitas com pelo menos um objetivo em mente, mas uma ou outra vez acabo me deparando com situações complicadas, nesse caso é necessário deixar o bom senso prevalecer, deixo minha agenda (objetivos) de lado, pelo menos por ora, e passou a ser ouvinte da pessoa.

   b. Concentre-se na pessoa que esta falando. Mantenha contato visual, todos gostamos de ser ouvidos por pessoas que estão nos olhando, além disso, você focar visualmente uma pessoa você vai conseguir se manter bem mais atento a ela do que se distraindo ou olhando para algum outro lugar, Celular ou tablete nem pensar.

   c. Encoraje o interlocutor. Isso você pode fazer verbalizando, mais facilmente com perguntas, ou mesmo com a linguagem corporal. Mas algo que realmente encoraja uma pessoa a falar é saber que o ouvinte é uma pessoa de confiança.

   d. Discuta o conteúdo. Faça um pequeno resumo do que a pessoa te falou, ou então parafraseei a ideia apontada, desta maneira você pode demonstrar que esta entendendo o que esta lhe sendo falado.

   Agora uma coisa importante, muitas vezes somos tentados a terminar uma reunião rapidamente por causa da nossa agenda. Alguns membros tem horror a uma comissão longa (e em certo sentido com razão), mas aqui vou querer desafiar você, presidente de comissão, reunião ou o que for. A arte de ouvir exige que você solicite ativamente opiniões e ideias dos integrantes da equipe que ainda não deram suas contribuições. Isso é necessário em especial porque sempre tempos membros mais calados e introvertidos dentro da equipe.

3. Separar as questões (ideias) em discussões das pessoas.

   Esse passo é fundamental e evita a ideia da tal panelinha. Mas quem quer que esteja presidindo e participando de uma reunião não pode confundir o autor da ideia, proposta ou questão em si, com o autor da mesma.

   Existe uma forte tendência de que quando apresentamos uma ideia ou damos um ponto de vista que diverge do grupo em si, ficamos apegados pessoalmente a essa nova perspectiva. Quando temos então nossa ideia rejeitada acreditamos que temos argumentar com mais força para que os outros aceitem.

   A melhor solução para isso é que após expor a ideia, deve-se separar a pessoa da ideia, fazemos isso discutindo os prós e contras com base única nos méritos. Após um boa analisada na ideia, o grupo pode então tomar uma decisão. E lembram-se a ideia de um presidente pode ser tão ruim, como de um estagiário pode ser maravilhosa. Esqueça a pessoa, aprenda a ouvir, analise e viva com sua ideia, aprovada ou não pela sua equipe.