quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Célula-tronco, a polêmica continua

   Quando ouvimos sobre pesquisa de célula-tronco achamos que logo estaremos nos beneficiando com curas impressionantes para os mais diversos problemas, inclusive a recuperação de movimentos de tetraplégicos, mas como deixei claro no post anterior eu sou contra esse tipo de pesquisa, o que usa embriões humanos, e vou colocar aqui mais uns motivos.

   1. Todos sabem que a célula-tronco tem a capacidade de se tornar qualquer tipo de célula, inclusive neurônios, mas as células-tronco embriatórias são difíceis de serem controladas e as vezes formam tumores em vez tecido útil.

   2. Segundo Wesley Smith, no livro Cell Wars: The Reagans Suffering and Hyped Promises, os tratamentos prometidos seriam muito caros. Ele afirma que “levaria cerca de cem óvulos humanos por paciente, a um custo de mil a dois mil dólares cada, apenas para obter uma linhagem de células-tronco embriatórias clonadas para o uso de terapia regenerativa”. Ou seja, mesmo que a biomedicina conseguisse a tal cura, ela estaria restrita a uma pequena parcela da sociedade.

   3. As células-tronco adultas estão tratando 70 doenças conhecidas, ao passo que as células-tronco embriatórias (tiradas de embriões em laboratórios, ao invés do cordão umbilical) não conseguem tratar nenhuma doença.

   4. Não percebo nenhuma lógica em criar centenas de vida humanas para serem sacrificadas em prol da recuperação da saúde de uma única pessoa. O normal seria um se sacrificar por muitos (por decisão própria, é claro!) não o contrário.

   Poderia estender ainda mais essa discussão, mas gostaria que você refletisse no seguinte ponto. Essa vida é injusta e passageira, muitos morrem de doenças terríveis e outros num delicioso sono, mas quando confiamos em Cristo, que morreu por nós, então todas as doenças serão curadas e nem mais morte existirá (Apoc. 21:1-4). Entregue sua vida em sacrifício a Cristo e então você viverá mais e melhor.