segunda-feira, 3 de março de 2014

Kibe Loco e o sarcasmo

   Observando a maioria dos sites de humor eu percebo que a maior parte usa uma coisa chamada sarcasmo do que as boas e velhas piadas e percebo também que ela tem um grande número de apreciadores e por isso resolvi escrever sobre o tema aqui, e o exemplo que vou usar o badalo site Kibe Loco, e sua ramificação no Youtube, o Porta dos Fundos, como exemplo.

   Primeiramente vamos definir o que é sarcasmo. Vejamos algumas definições: 1) Ironia ou zombaria mordaz e cruel. 2)Figura de retórica. Que consiste em empregar esta espécie de escárnio para afrontar ou ofender pessoas ou coisas. Moderno Dicionário da Língua Portuguesa.

   Um bom comentário sobre sarcasmo foi feito por Davis Denby e pode ser visto no seu livro Snark: It’s Mean, It’s Personal, and It’s Ruining Our Conversation [Sarcasmo: É Maldoso, É Pessoal e Está Arruinando nossa Conversa] quando disse: “o sarcasmo tenta roubar a energia de alguém, apagar sua compostura e aniquilar sua eficácia com um insulto que causa desiquilíbrio e é torpe, provocador, insidioso e faz referência a algum preconceito ou mau gosto compreendido e compartilhado em geral”.

   Já Ryan Holiday em seu livro Acredite, estou mentindo: confissões de um manipulador das mídias, define de maneira mais simples: “você sabe que esta lhe dando com sarcasmo quando tenta responder a um comentário e percebe que não há nada que se possa dizer”.

   Claro que nosso primeiro instinto é o de responder quando nós ou nossas crenças são vítimas do sarcasmo e geralmente apelamos a algo que todos na teoria aceitam, a razão. E não funciona, na verdade toda energia que você gastar em sua defesa será usada contra você para tornar o constrangimento ainda pior.

   Como você já deve ter percebido o sarcasmo é destruidor. Ele não tem nenhum poder construtor, apenas aniquila. E por que é usado? Simples, é rentável e fácil para os blogs e vlogs, basta ver quão rápido o portal do Porta dos Fundos teve de assinantes.

   O sarcasmo é o recurso perfeito pra as pessoas que não têm nada a dizer. Esse estilo é o preferido porque gera cliques, é barato e rápido. Não precisa ser nenhum grande intelectual. Diga um bom artigo que tenha de fato feito você refletir e mudar de opinião no blog do Kibe Loco!

   A ideia do blog com seus vídeos provocativos não é fazer rir, isso seria humor e não sarcasmos, mas o sucesso esta em fazer você dar aquele sorriso de canto de boca. Para isso se humilha, distorce, machuca e o que for mais necessário.


   O sarcasmo é o jeito barato de escrever sem pensar e ainda assim parecer inteligente, com a simples desculpa de que com o sarcasmo vão mudar o mundo, será? Será que provocar, machucar, alfinetar, blasfemar contra Deus ou o homem e qualquer outra coisa que seja tem o poder de mudar o mundo para melhor?

   Imagino que para excluídos, as minorias ou qualquer um que possa sentir o bafo da perseguição no cangote o sarcasmo seja seu único refúgio. Eles podem debochar, escarnecer, mentir ou perturbar, mas são impossibilitados de servires seus leitores expondo corrupção ou quem sabe apoiar uma causa com argumentos verdadeiros.

   O astuto jornalista universitário da Columbia University, Philip Petrov no artigo “Why Are College Students – and Bwog – So Clever” (http://www.columbiaspectator.com/2009/03/08/why-are-college-students-and-bwog-so-clever) comentou: “Sarcasmo não é a resposta das ‘massas’ ao discurso duplo e vazio dos políticos. É um mecanismo de defesa para jornalistas que, sem ter o que falar, morrem de medo de serem criticados ou escarnecidos. O texto sarcástico reflete um medo essencial – o medo de que riam de si. Jornalistas sarcásticos não querem ser debochados, então atacam primeiro debochando de todo mundo à vista.”

   O sarcasmo faz com que o blogueiro “jornalista” sentir uma força que ele sabe, lá no fundo, não possuir. O sarcasmo faz o escrito sentir-se seguro e que esta com a situação sob controle. Sarcasmo oferece a posição intelectual ideal. Ele pode criticar, mas não pode ser criticado. Pior, não precisa de provas para escrever, afinal é humor.

   O Porta dos Fundos usa o sarcasmo frequentemente contra a religião, o cristianismo em si. Eles nunca apresentam um bom motivo e seus vídeos são desprovidos totalmente de argumentos, pois o sarcasmo em si não consegue ser racional, pelo contrário, ele encoraja a falsidade e a estupidez que supostamente tenta denunciar.

   Não é atoa que Roger Ebert chama o sarcasmo de “vandalismo cultural”. O sarcasmo impossibilita a cultura, ou melhor, ele torna impossíveis as condições que possibilitam a cultura. Seriedade, honestidade e vulnerabilidade: esses são os alvos do sarcasmo. “O sarcasmo funciona como um dispositivo para punir características humanas como espontaneidade, excentricidade, não conformismo e o simples erro.”

   Por fim, as pessoas que florescem sob o sarcasmo são exatamente aquelas que gostaríamos que desaparecessem.


   O que fazer quando sou alvo o sarcasmo? Aceite o golpe e ignore. Deixei de ouvir programas de rádio, ver outros na televisão e de acompanhar futuras promessas da internet (algumas conseguiram seus objetivos) por atacarem justamente aquilo que acredito ou sou. Atenção é o que mais querem e serem ignorados é o que mais tem medo.


   Me perturba os vídeos ofensivos contra o cristianismo? Não, eu simplesmente não assisti mais depois do primeiro. Sabem por que? Pensei comigo: “Se esse é o melhor argumento que possuem. Então não oferecem problema nenhum.” Tem cara no Youtube muito mais inteligente e que aceita a racionalidade para falar ou dar seu parecer (a favor ou contra) aquilo que sou e acredito.