sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Missionário ou impostor

   Charles Spurgeon certa vez disse: “Todo cristão ou é missionário ou é um impostor.” Ellen G. White fez uma citação semelhante que dizia: “Muitos pensam que o espírito missionário, a habilitação para a obra missionária, é um dom ou dotação especial concedido aos pastores e a alguns poucos membros da igreja, e que todos os outros devem ser meros espectadores. Nunca houve erro maior. Todo verdadeiro cristãopossuirá espírito missionário; pois ser cristão é ser semelhante a Cristo. Ninguém vive para si mesmo, e ‘se alguém não tem o espírito de Cristo, esse tal não é dEle’. Romanos 8:9.”

   Agora observem a magnifica obra que Deus nos dá. Ele ama muito cada ser humano, sem exceção, e quer que todos sejam salvos. Ele poderia ter confiado essa missão aos fieis anjos ou poderia Ele mesmo vir e falar o que cada um precisava ouvir. Mas ele escolheu você para falar do amor dEle ao mundo.

   Porém uma das coisas que infelizmente nos atrapalham é uma mentira implantada em nossa mente pelo inimigo do Senhor, a falsa ideia de que as pessoas não tem interesse ou simplesmente não querem falar a respeito da eternidade.

   Quando morei na Alemanha muitas vezes fiquei em uma livraria (amo livrarias) e ficava na seção de livros religiosos folhando os livros para ver se eu aprenderia alguma coisa, tanto de alemão como do tema proposto pelo livro. Ali poderia encontrar de tudo, da mais simples Bíblia ao complexo manual de bruxaria. E o que eu percebi? Que os “céticos” alemães iam à aquela seção com mais do que eu poderia imaginar, porém buscavam outras respostas fora do cristianismo. Mas ali havia pessoas buscando respostas.

   Agora pense em Jesus! Ele nunca teve medo de falar a verdade e em cada oportunidade que tinha falava abertamente do amor de Deus. Cristo tinha um foco tão grande que quando se encontrava em meio a “prostitutas e publicanos” eram os que não O conhecia (ou reconhecia sua figura messiânica) que se perguntavam “quem é este que anda no meio de pecadores?”.

   Mas você sabe por que Jesus estava lá? Eu tenho minha opinião e vou compartilhar com vocês. Porque quanto maior as trevas, mais a luz se destaca, mais a verdade vai chamar a atenção, melhor vai ser o efeito do testemunho. Jesus não buscou pecadores, mas os pecadores! Com Sua luz iluminou o sombrio mundo de Satanás e deu esperança aos que se encontravam perdidos.

   Eu me pergunto, e faça essa pergunta para você também. Se eu fosse visto no meio de pecadores, o que meus irmãos de igreja pensariam de mim? Eu espero que seja o mesmo pensamento que os apóstolos tinham em relação a Jesus. “O pastor Thomas deve estar testemunhando, vou ajuda-lo!”.


   Agora quero estender esse convite a você, saia um pouco da luz e vá as trevas, ilumine com a Palavra a escuridão deste mundo, faça a diferença agora. Porque isso é uma coisa que você não vai poder fazer no Céu.